Sobre o projeto

Diretriz SBD 2021 – Um marco de inovação

No ano de 2021, a diretriz SBD 2021 passa por uma renovação nunca antes vista.  Pela primeira vez ela se torna totalmente digital, montada em uma plataforma dinâmica e online, com recursos de navegação que vão, desde a possibilidade de atualizações em fluxo contínuo até a inserção de vídeos, tooltips, mídia gráfica, além de disponibilizar links entre os diversos capítulos.

A diretriz da SBD passa a ser baseada em evidências, seguindo um fluxo editorial, onde os capítulos são revisados por pares, discutidos por um comitê central e aprimorados, além de passar por revisão técnica profissional antes de serem publicados.

Os capítulos inicialmente são criados dentro dos departamentos da SBD, onde são discutidos, colocados em forma de recomendações, as quais são  votadas pelos membros do departamento.  Após concluída esta fase inicial, cada capítulo é submetido ao fluxo editorial. O editor chefe recebe, analisa, e o designa a um editor de seção, o qual faz a revisão bruta de formatação, procurando trabalhar em sincronia com o coordenador do departamento.  Quando no formato adequado, é então submetido ao plenário do comitê central para discussão e aprovação.

O comitê central é um grupo de experts de membros da SBD, de diferentes áreas do diabetes, os quais se reúnem sistematicamente para discutir, deliberar e aprovar os capítulos. No plenário, cada artigo é minuciosamente  analisado, com especial atenção para os níveis de evidência, graus de recomendação e revisão da  redação das recomendações. 

Uma vez aprovado pelo comitê, o capítulo volta ao autor para checagem das mudanças e para revisão das reformulações de eventuais discordâncias. Após, o mesmo segue para uma revisão fina, onde cada sumário de evidência é revisto detalhadamente, com checagem das referências e dos artigos que embasam as recomendações. Finalmente o capítulo vai para o revisor de estilo técnico e linguagem, o qual formata o texto nas regras ortográficas e técnicas recomendadas. Após, o capítulo volta ao editor chefe para então ser submetido à diagramação. Na diagramação, uma revisão final ainda é feita para checagem,  antes de ser publicado.  A publicação recebe um DOI e fica então indexada.

Todo este processo garante um documento de alta qualidade e que não é exclusivo de apenas um autor, mas da SBD como instituição. A ideia é que esta diretriz venha a se renovar anualmente, de forma sistemática, e, de forma extraordinária, se houver novas evidências, com força suficiente para mudanças. 

O evento dos dias 9-10 de julho de 2021 marca o pré-lançamento da Diretriz 2021. Muitos capítulos ainda não são lançados neste momento, devido à complexidade que se faz necessária para a qualidade da publicação. Novos capítulos serão incorporados gradualmente, de modo que se a diretriz tornar-se-á mais robusta e sofisticada ao longo do tempo. 

Todo este processo demandou, e demandará um trabalho extremamente complexo, árduo, contínuo, mas muito gratificante que se deve ao comitê central, cujos membros não mediram esforços para chegar onde chegamos. 

Neste evento começamos a compartilhar com o público da SBD esta nova versão que pretende abranger todos os profissionais de saúde que atuam em todas as áreas do tratamento do diabetes, em  todo o Brasil. Esta diretriz tem o objetivo de ser perene e se projetar através das futuras gestões da SBD, prometendo ser um marco e um avanço que vai levar a SBD a um novo patamar científico.

      Saudações a todos

Marcello Bertoluci
Diretor Científico da SBD 2020-2021
Editor Chefe da Diretriz SBD 2021