Editorial

Diretriz SBD 2021 – Um marco de inovação para a SBD

O Programa das Diretrizes da SBD, ao completar já vinte anos de existência contínua, representa um marco no cenário nacional – e certamente também no internacional – em relação ao que há de melhor na atualização e balizamento para todos os profissionais da saúde que se dedicam ao diabetes.

A nova Diretriz SBD 2021, construída ao longo do atual biênio, passou por uma reformulação inédita. Pela primeira vez ela foi totalmente digitalizada e montada numa plataforma virtual dinâmica, dotada de recursos sofisticados de navegação, que incluem a inserção de vídeos, tooltips, mídias gráficas, ligação entre diferentes capítulos, entre outros. Além disso, e mais importante, ela permite a possibilidade de atualizações em fluxo contínuo, à medida que o conhecimento científico vai crescendo, sendo aperfeiçoado e modificado.

A Diretriz da SBD passa, a partir desta edição, a ser baseada num sólido arcabouço de evidências, seguindo uma metodologia editorial em que os capítulos são primeiramente criados dentro dos departamentos, discutidos e formatados em recomendações votadas por seus membros. Segue-se uma discussão e revisão por um editor setorial que, trabalhando em sincronia com o coordenador do departamento, realiza seu aprimoramento. Concluída essa etapa, o capítulo é direcionado ao Editor-chefe, que o submete à revisão por pares, em plenária do comitê central. Uma vez aprovado nas plenárias do comitê central, cada capítulo volta aos autores para conhecimento de sua versão definitiva, passa então por uma revisão técnica profissional, e recebe um código “DOI” (Digital Object Identifier) antes de sua publicação, ficando, desta forma, indexado.

O comitê central das Diretrizes é um grupo da SBD com expertise em diferentes áreas do diabetes, formado sob a coordenação do assessor científico da presidência da SBD. Ele se reúne sistematicamente para discutir, deliberar e aprovar os capítulos da Diretriz. Nas suas reuniões plenárias, cada artigo é minuciosamente analisado. Especial atenção é dada para os níveis de evidência, graus de recomendação e redação das recomendações.

Todo este processo garante um documento de alta qualidade, que não é produzido exclusivamente por apenas um autor ou grupo de autores, mas por toda a SBD como instituição. A ideia é que esta diretriz venha a se renovar sistematicamente, anualmente e em situações extraordinárias, quando surgirem novas evidências com força suficiente para mudanças.

Esta construção demanda um trabalho bastante complexo, árduo, contínuo, mas muito gratificante, devido aos esforços de todos os departamentos da SBD, do comitê central e do Editor-chefe, membros da Sociedade que doam seu tempo e não medem esforços para chegar à conclusão de tão importante e valiosa obra.

Esta nova versão da Diretriz SBD é dedicada a todos os profissionais de saúde que atuam no tratamento do diabetes no Brasil. Ela tem o objetivo de ser perene e se projetar através das futuras gestões da SBD, representando um marco e um avanço, que levará a Sociedade Brasileira de Diabetes a um novo patamar científico.

Saudações a todos,

Domingos A. Malerbi
Presidente da SBD
Gestão 2020-2021

Marcello Bertoluci
Diretor Científico da SBD 2020-2021
Editor-Chefe da Diretriz SBD 2021